Resenha: Ze Tian Ji – Caminho das escolhas (Fighter of the Destiny – TV series), por Mao Ni

A encantadora cortesã

Título: Ze Tian Ji (择天记 em mandarim, como é mais conhecido), (Caminho das escolhas em português). (Way of Choices em inglês)

Série de TV: Fighter of the Destiny

Autor: Mao Ni

Língua lida: Inglês. Houve uma mudança no grupo de tradutores, e ainda agora está acontecendo uma revisão da tradução. Para ter acesso, entre no NovelUpdates

Tem em português: Sim, pela Aliança Novel

Sinopse em português traduzida pela Aliança Novel:

Para tomar é escolher. Esta é uma história sobre escolhas. Três mil mundos cheio de deuses e demônios, com um pergaminho de papel na mão você é capaz de controlar todo o universo…

No início dos tempos, um meteoro místico caiu do espaço exterior e se espalhou por todo o mundo. Um pedaço dele desembarcou no continente oriental.

Existiam totens misteriosos esculpidos em cima do meteoro e pessoas se reuniram em torno dele ao querer descobrir a sua utilização. Eles descobriram o Caminho e estabeleceram A Tradição.

Vários milhares de anos mais tarde, o órfão Chen Chang Sheng de quatorze anos de idade deixou o seu mestre para curar sua doença e mudar o seu destino. Ele trouxe o seu voto matrimonial para a capital e assim começou a jornada da ascensão de um herói.

Nessa resenha não vou falar muito de história, e sim sentimentos. Vou falar sim da história, mas nem vale a pena ler…

Não só como leitora, mas também como escritora (frisando muito que sou amadora do nível que sem revisa as próprias resenhas que publica), para mim o sentir é mais importante que personagens, enredo, técnica, grafia. Sou do tipo abandonadora: mesmo que eu tenha consciência de que um livro é bom, se não conseguir me envolver eu vou abandoná-lo. O mais importante não só em um livro, mas em todas as formas de contação de histórias, é como quem recebe é envolvido.

Quer um exemplo melhor disso do que a série Cinquenta Tons de Cinza? Qualquer um percebe que medíocre em vários sentidos, mas foi um sucesso mundial. Isso é um reflexo da mediocridade da nossa geração? Não. Só que o livro tem alguma coisa que faz as pessoas continuarem lendo até o fim e ficarem absortas na leitura. Eu achei uma porcaria, mas li toda a série. Tem algo nele que desperta o leitor.

Um exemplo ainda melhor, que é o que eu realmente quero usar. Harry Potter. É bem escrito, criativo sim, tem personagens interessantes, não é à toa que se tornou um fenômeno. Na minha opinião o único motivo pelo qual alguém não gosta desse livro é pelo meno motivo pelo qual eu não gosto dos clássicos russos: o que não gosto na verdade são dos fans. Contudo, quanto livros possuem a mesma qualidade de Harry Potter, ou ainda superiora, e não conseguiram chegar a esse patamar? Isso é porque Harry Potter tem algo em comum com Cinquenta Tons de Cinza: ambos despertam algo nas pessoas.

Para quem é apaixonado por leitura, ainda mais pelo gênero fantasia, ainda deve se lembrar dos sentimentos que teve lendo Harry Potter. E para aqueles que estão na casa dos 20 como eu, que leram na adolescência, devem se lembrar que quando saíam reportagens e mais reportagens perguntando e sugerindo qual seria o novo Harry Potter. Falaram em Crepúsculo, depois em Jogos Vorazes, mas nenhum deles foi realmente aceito como o sucessor.

Então um dia eu comecei a ler um livro, parei e percebi que a sensação que senti era muito parecida com a que eu lembrava de ter tido quando lia Harry Potter. Então pensei:

Ze Tian Ji é o sucessor de Harry Potter.

Uma pena que na industria literária, na qual só divulga e publica autores de língua inglesa, esse livro nunca vai ser reconhecido como merece. Você nunca vai encontrar esse livro em uma livraria. NUNCA.

E um livro não tem nenhuma relação com o outro. Para começar o gênero, Xianxia, só existe na China. Só são excepcionais quando se tratam de envolver o leitor.

E durante a leitura fiz a besteira que tentar assistir o drama (parece que só leio coisas que são adaptadas depois em dramas, mas não é bem assim… Eu só faço resenha de livros que são adaptados em dramas! 🙂 ). E não teve a menor graça, nem passei do 3º episódio. Percebi então que a história por si é meh, mas a leitura é de outro nível.

Então vou contar a história.

Em uma geração nasceram duas crianças, um menino e uma menina, que eram a reincarnação do dragão e da fênix. Na mitologia chinesa, são só os simbolismos do imperador e imperatriz, então isso era sim algo grande. Isso significava que eram esperados grandes feitos de ambos e as suas existências traria paz para o mundo. Formariam um casal perfeito.

O protagonista não é nenhum deles. Chen Changsheng é apenas um orfão discípulo de um daoísta que vivia isolado, que gastava seu dia estudando e esperando que sua morte chegasse. Devido a uma doença de nascença, era esperado que ele não viva mais do que 20 anos de idade. Também seu mestre o proibia de cultivar (caso não saiba do que estou falando, procure saber sobre o gênero Xianxia, que é cheio de especificidades). Com a esperança de encontrar a cura da sua doença, Changsheng saí para o mundo.

Porém, na despedida, o seu mestre o entrega um contrato de casamento dele com uma moça, feito pelo seu mestre e o avó dela. Como não deseja estragar a vida dele se tornando uma viúva jovem, a primeira coisa que Changsheng faz é ir a casa dela para quebrar o contrato. Mas ele não chegou a sequer falar isso e foi extremamente maltratado, e por isso se recusou a quebrar o noivado até que a família dela se desculpasse pela sua grosseria. O que ele não sabia era que sua noiva era Xu You Rong, a reincarnação da fênix. Como alguém normal, alguém que nem sequer conseguia cultivar, todos achavam que Changsheng era indigno de ser seu noivo e sua existência impediria que o casamento fosse realizado com Qiu Shan Jun, que era a reincarnação do dragão. Esse noivado foi mantido em segredo do público.

Changsheng então começa a sua jornada para conseguir cultivar para que consiga viver mais, ao mesmo tempo em que a família Xu então tenta sabotar Changsheng de todas as formas possíveis.

Eu diria que um dos temas principais da obra é a superação. Não… é sobre ir contra o próprio destino.

Changsheng é um bom personagem. Disciplina é a melhor palavra para descrevê-lo. Calmo, racional, que nunca deixa de seguir o mesmo cotidiano, mas que no fundo faz isso para que a sua doença não se agrave.

Acho que um dos melhores pontos da história é a Xu You Rong, mas não ela em si. Ela demora muito para aparecer, mesmo que seja mencionada a todo momento. Não são 10 ou 100 capítulos, ele demora bem mais do que isso para interagir com outros personagens, mesmo que por vezes aparecem alguns pensamentos dela. Ela é apresentada gradualmente antes de estar no livro.

Ze Tian Ji é longo, por vezes excessivamente. Por vezes isso funciona para uma melhor caracterização dos personagens, por outras você se lembra que o autor é pago pela quantidade de palavras que escreve.

melhor momento até agora, na minha opinião. Como é um spoiler, passe o mouse nesse trecho e leia a caixa de texto que aparecerá.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s