Resenha: Condenada a ser Cannon Fodder, por Whistling Night Rain (Doomed to be Cannon Fodder)

Título: Condenada a ser Cannon Fodder (放开那个女巫 na língua original, Doomed to be Cannon Fodder em inglês)

Autor: Whistling Night Rain (潇潇夜雨)

Língua lida: Inglês, está sendo traduzido pela Volarenovels nesse link

Tem em português: não tem, adoraria que traduzissem

Sinopse em português traduzido por mim:

Ela de alguma forma acabou transmigrando para dentro de um livro como a personagem feminina de apoio, que foi espancada até a morte! Apaixonada pelo protagonista, ela estaria destinada a ser espancada em uma massa sanguinolenta antes mesmo de se dormir com ele?!

Parte por parte, ela precisa sobreviver e conseguir se agarrar em alguém que a proteja. Mas o protagonista secundário é um verdadeiro cavalheiro e não sente nada por seu corpo deslumbrante e sedutor. Tudo bem! Ela vai se prender na sogra ou no protagonista então!

Mas por que o protagonista secundário a olha com olhos cada vez mais estranhos? E o que é aquele Chefe da Aliança Wulin com o transtorno da personalidade? Você é apenas uma espectadora aleatória, para o que você está se envolvendo?

Finalmente, o protagonista não aguentou mais e a arrastou para a mansão do Príncipe Li …

Finalmente, o protagonista não aguentou mais e a arrastou para a mansão do Príncipe Li …

Se lê em inglês e quer algo fofo é diferente, você tem que ler esse livro! É o meu favorito na atualidade.

Para começar, o que é um Cannon Fodder? Você já deve ter assistido algum filme de super herói, então deve saber que sempre tem uma luta do herói contra umas 100 pessoas ao mesmo tempo. Todas essas 100 pessoas são facilmente derrotadas com um peteleco do herói, para mostrar o quão forte ele é. Um Cannon Fodder é um desses personagens que nasceram para levarem um peteleco do protagonista e serem derrotados. Um personagem descartável que serve para enaltecer os protagonistas.

A protagonista, Bai Xiangxiu, é uma Cannon Fodder!

Mas como isso aconteceu?

É uma história dentro de uma história. Ela, um dia lia um romance de época sobre uma garota que foge do casamento com um general que ganhou o título de príncipe. Ao longo da história, vários homens se apaixonam por ela, mas ela se apaixona pelo príncipe, que tem várias mulheres apaixonadas por ele. Os apaixonados por ela a protegem, as apaixonadas por ele fazem várias intrigas para acabar com a vida dela. A leitora tinha acabado de ler sobre o que aconteceu com a concubina Bai Xiangxiu, que foi espancada até a morte a mando do príncipe depois de tetar prejudicar a protagonista. Foi uma cena bem gráfica.

Então  a leitora espeta o dedo em um cacto e vai parar no corpo de Bai Xiangxiu antes da história do livro começar.

A história é basicamente Bai Xiangxiu tentando não ter um fim tão trágico. Se ir contra a protagonista significa ser espancada e morta, então ela vai ser o mais a favor dela possível. Se o príncipe foi feito para a protagonista e não vai querer se sujar com nenhuma outra mulher antes de ficar com ela, Bai Xiangxiu não vai querer nem ficar perto dele. Se tem vários personagens masculinos secundários boa gente que não vão terminar com a protagonista, então ela vai tentar ficar com um deles. Se nada der certo, ela vai tentar viver a vida dela em paz e longe de qualquer coisa que seja um risco de vida.

A lembrança de como sua personagem morreu gerou um verdadeiro pavor em Bai Xiangxiu. Ela passa mal só de estar perto de qualquer coisa que lembre violência e, é claro, de ficar perto do príncipe.

Então para evitar esse destino, ela se passa pela mulher mais generosa, trabalhadora, comportada, obediente e recatada do mundo. Tenta ficar o mais longe do príncipe e ser o menos sedutora possível. Faz o impossível para vangloriar a protagonista e tenta ficar sempre do lado de sua sogra (para quem não entendeu, Bai Xiangxiu é a concubina do príncipe, então a mãe dele é considerada como sogra dela). E só para garantir, dá de cima do melhor amigo dele, que é um daqueles personagens que se apaixonaram pela protagonista. Isso com descrição, é claro, para não ser pega e assassinada por trair o seu marido.

Claro que o plano de Bai Xiangxiu tem o efeito contrário. Se ela queria ser discreta e ficar invisível para a violência dos outros, ela sempre se torna o centro das atenções. Todos acabam gostando dela, vira quase que uma deusa na opinião deles. A protagonista também não ajuda em nada, você vai odiar ela. É uma típica personagem mimada, mas que todos acham bonitinho. Ao longo da história, Bai Xiangxiu vai apresentando um pouco do enredo do livro original, e você percebe que ela atrapalhou a vida de todos que encontrava. O príncipe perdeu quase tudo o que conquistou (fama, dinheiro, amigos) por causa das atitudes dela. Sabe aquela pessoa que arrasta os outros para o fundo do poço e aqueles que são arrastados aceitam isso porque amam ela incondicionalmente? Não é à toa que sempre perde quando é comparada com a Bai Xiangxiu.

Só que Bai Xiangxiu não é a protagonista, ela é uma Cannon Fodder! Sua natureza é ser descartável, ser derrotada por um simples peteleco!

O príncipe se apaixona por ela, mas ela não é a protagonista. A narrativa impõe que ele deve se manter puro e virginal para a sua amada destinada, que não é a Bai Xiangxiu. Ela também morre de medo dele. Assim, o universo conspira para que eles não permaneçam juntos, nem para que ele encoste um dedo nela. O nível da separação é esse: se ambos estão no mesmo comodo, está destinado para que alguém bata na porta. Se tenta dar um beijo nela, uma briga por perto começará. Se tentar consumar o casamento, Bai Xiangxiu vai tropeçar, bater a cabeça e ficar em coma.

Sabe aquela vulnerabilidade a petelecos? Ela se machuca só de respirar, e esse é um dos pontos altos da história, as maneiras criativas dela conseguir se ferir. Não há capítulo que Bai Xiangxiu não seja machucada ou esteja se recuperando de um. O príncipe sempre fica impressionado com essa capacidade dela

Apesar do enredo “mulher moderna transmigra para a antiguidade” ser comum nos livros chineses, eu gostei em como foi feito nesse. Geralmente é uma personagem incrível, mas Bai Xiangxiu é alguém normal, que trabalha numa floricultura e só entende disso. A autora conseguiu fazer com que mesmo que fosse normal, Bai Xiangxiu conseguisse ser uma personagem incrível só com sua sensibilidade moderna. Ela considera todos como iguais, é moderada, alfabetizada e entende das nuances do seu comércio, e é isso o que a faz se destacar.

Essa defesa de Bai Xiangxiu às vezes me incomoda, já que ela sempre age não como deseja, mas como seria melhor para sobreviver, e esse ser o charme dela para todos. Quero ver num futuro ela mais sincera, e ver como aqueles ao seu redor vão reagir ao ver como ela realmente é. Não quero que ela termine com o príncipe (a tradução está em andamento no momento que escrevo essa resenha, está na metade da história) sendo quem ela não é. Ela já mostrou a personalidade uma vez, quando estava com sono, e ele reagiu bem, então tenho esperanças.

Anúncios

Resenha: The 100, por Kass Morgan

Título: The 100 – os escolhidos
Série: The 100

Autor: Kass Morgan

Língua lida: Inglês, há algum tempo

Tem em português: sim

Link para compra: The 100 (se é que vai querer comprar depois dessa resenha…)

Já li esse livro há algum tempo, mas vi que alguém estava lendo ele no meu feed da Goodreads hoje e decidi fazer essa resenha. Uma resenha de uma das minhas maiores decepções literárias.

Li o livro depois depois de terminar de assistir a primeira temporada da série que foi baseada nele (se não sabe, há uma série de televisão feita baseada nesse livro, que tem o mesmo título). Claro que estava repleta de expectativas! Por experiência própria, sei que isso não é bom, já que por mais bom que seja a história, quando espero muito de um livro, não costumo encontrar algo que vá além do que espero. Esse livro faz isso, só que com um baque maior.

Não é que a história não estava muito acima das minhas expectativas. Estava muito, muito abaixo delas.

Em outras palavras, é ruim.

O enredo é incrível. Num mundo distópico no qual os últimos humanos vivem em uma nave, é decidido que 100 infratores adolescentes devem ir para uma expedição para a terra. Sozinhos em um planeta e abandonados da civilização, temos uma premissa de um Senhor das Moscas adolescente e futurista com múltiplos narradores.

O tom é monótono. Sim, conseguiram fazer isso. A narrativa é curta, sem emoção, entediante e você chega no fim sem ter um clímax. É o clássico caso de bom enredo nas mãos erradas. Por isso mesmo a série não segue à risca a história do livro, no qual abrange cerca de quatro episódios. Há mais uma personagem na história que não é presente no seriado, de uma garota que vive na nave e é bem fútil.

Resumindo, se você gostou da premissa desse livro, assista a série!